Ouvir Texto Stop

O descarte inadequado das embalagens de agrotóxicos representa diversos perigos para a população, como contaminação potável, impactos na saúde humana, prejuízos a biodiversidade e impactos no ecossistema.

Por isso, é necessário fazer a lavagem adequada das embalagens vazias e sua devolução aos pontos de coleta autorizados, onde serão submetidas a processos de reciclagem ou destruição de maneira segura.

 

Orientações:

  • Tríplice lavagem: As embalagens de agrotóxicos, mesmo depois de esvaziadas, ainda conservam pequenas quantidades de produtos. Por isso, o procedimento recomendado é lavar três vezes o recipiente e retornar a água para a bomba utilizada na aplicação. A cada lavagem, a quantidade de resíduo deverá diminuir. Confira como realizar o procedimento:
  • Adicione água limpa à embalagem até um quarto do seu volume. Tampe bem a embalagem e agite por 30 segundos. Despeje a água de lavagem no tanque pulverizador. Faça esse procedimento três vezes e posteriormente pulverize o conteúdo na lavoura.
  • Fure o fundo da embalagem para que ela não possa ser utilizada novamente.
  • Embalagens não laváveis: são embalagens que não podem ser lavadas, como sacos plásticos, de papel ou plásticos metalizados, além de caixas secundárias de papelão usadas para transportar outras embalagens. Com esses produtos, é necessário esvaziar completamente durante o uso e guardar a embalagem dentro de um saco plástico próprio para essa finalidade, que deve ser fornecido pela loja que vendeu o produto.
  • Onde armazenar: Toda embalagem, após lavada, deve ser furada e guardada com a tampa em local seco e seguro. Antes de devolver as embalagens, o produtor pode armazená-las em caixas de papelão.

 

Em conformidade com Lei Federal 7.802/1989, Lei Federal 9.974/2000, Decreto Federal 4.074/2002 e Resolução CONAMA 465/2014.